Carta

O CBD pode acabar com a crise dos opióides?

Em 2019, 90 americanos morrem todos os dias devido a uma overdose de opióides. Afeta todo o tipo de pessoas de todas as camadas da sociedade. Até as celebridades entraram no círculo infernal dos Opióides… A crise dos opióides é a maior ameaça sanitária nos EUA desde que o país existie.

Fonte: addictaide.fr

Porque é que as pessoas começaram a tomar opióides

O opióide foi introduzido no final dos anos 90 e desde então, tem sido oferecido pelos médicos aos pacientes como uma solução eficiente para tratar o stress ou depressão temporária ou permanente. O processo é sempre o mesmo: pessoas e famílias normais recebem uma receita de comprimidos opióides para ajudar no sono, problemas de stress ou depressão.

A solução é eficiente e quando vejo que estas substâncias atuam da mesma forma que o fentanil, a heroína, o ópio, tenho a certeza de que drogas tão fortes podem ser eficientes para as pessoas!

Mas ninguém pensou mais além…

Mas o verdadeiro problema não é o quão eficientes são estas drogas, mas o vício que gera tal molécula e é muito semelhante com a heroína. Dar um opióide hoje é o primeiro passo para o vício da heroína. Em poucas semanas ou meses, um novo utilizador de opióides com uma vida normal começa a agir como drogado, a destruir a sua vida e a da sua família, a roubar bens e dinheiro para financiar o vício e, finalmente, a ir para a heroína ou o ópio numa queda mórbida final…

Estes pais, estas famílias, estas pessoas ricas e pobres de todos os EUA são todas as vítimas.

Porque é que tais drogas viciantes são prescritas tão abertamente?

Nos últimos 20 anos, as drogas opióides têm sido muito prescritas. Há várias causas para esta propagação:

  • Mal-entendidos sobre os efeitos secundários e a semelhança próxima com a heroína.
  • Não existem outros medicamentos eficientes disponíveis no mercado.
  • Grandes campanhas de marketing por empresas farmacêuticas.

Não podemos falar apenas do passado, porque em 2019 a crise está bem presente, desde 16 de outubro de 2017, os EUA ainda estão oficialmente em situação de emergência de saúde pública. Foram cometidos alguns erros no passado e o Governo dos EUA está ativo para combater a epidemia, mas será suficiente? O opióide já matou mais de 64000 pessoas nos EUA em 2018 e está na altura de procurar uma verdadeira alternativa a estes produtos químicos horríveis.

Mas há uma solução

O que é certo é que demasiadas pessoas são tratadas com drogas demasiado fortes, os opióides devem deixar de ser a primeira solução em que pensamos quando temos um problema temporário ou doença. O canabidiol tem-se revelado muito eficiente em alguns casos (dormir, relaxar, recuperar, etc…) e alguns novos estudos demonstram novas propriedades medicinais de CBD. Quando se sabe que os opióides são usados principalmente como analgésicos, entende-se que o CBD pode ser super útil, porque também é um analgésico comprovado. Mas em vez disso, o CBD não tem efeitos secundários e tem risco 0 absoluto de desenvolver um comportamento viciante ou ir para doses mais altas ou drogas mais fortes.

O CBD pode muito bem ser uma solução para tratar pacientes com dor leve ou média,e para pessoas com um nível mais elevado de dor, poderia ser interessante pensar sobre cannabis medicinal (se legal no País) com uma mistura de CBD e THC como alguma medicação autorizada existente (cf: Sativex). Na maior parte dos casos, o tratamento leve de CBD deve ser previsto primeiro antes de pensar na marijuana medicinal e, finalmente, no opióide ou ainda mais forte, analgésicos como a Morfina.

Bem, eu não sou médico ou cientista e como dono de uma pequena empresa, não tenho a minha palavra a dizer sobre grandes empresas farmacêuticas ou política do Secretário de Saúde, mas acho que o processo que leva aos opióides deve mudar.

A lógica diz para começar devagar para determinar o melhor fármaco que o paciente precisa. Se um paciente se sente cansado, não se dá cocaína, porque é mais eficiente do que vitaminas…

O CBD pode ser amplamente usado para substituir codeína

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.